A primeira transfusão de sangue da história – saiba mais

Saiba mais sobre a primeira transfusão de sangue da história.

A primeira transfusão de sangue da história – saiba mais

Aqui no blog do Hemotify, nós já falamos sobre vários assuntos diferentes. De requisitos e impedimentos para a doação, passando pela desmistificação de várias lendas por trás da doação, até os processos de segurança transfusional, abordamos todos os tipos de temas. Mas quando falamos em doação de sangue, o processo não termina no hemocentro. Como todo mundo sabe, o destino dos hemocomponentes é a transfusão. Pensando nisso, resolvemos falar hoje sobre a primeira transfusão de sangue da história. Confira aí enbaixo!

 

James Blundell e a primeira transfusão de sangue da história

Várias tentativas de transfusão de sangue foram realizadas entre os séculos XV e XIX, mas poucas obtiveram algum sucesso. Mas isso não se deve apenas aos procedimentos rudimentares. O conhecimento médico necessário para a realização de uma transfusão ainda não estava formado, e a técnica por trás do processo não havia sido desenvolvida.

O relato mais antigo de uma transfusão de sangue data de 1492. Em algum momento daquele ano, o Papa Inocêncio VIII teria, supostamente, recebido sangue coletado de três meninos de 10 anos de idade. Este tratamento, receitado pelo médico Giacomo di San Genesio, tinha como intuito reestabelecer a saúde do Papa, que estava em coma. Mas esta não é esta a que consideramos a primeira transfusão de sangue da história.

Isso se deve ao fato das técnicas para o procedimento ser realizado não terem sido observadas com o mesmo cuidado com o que faria James Blundell, mais de duzentos anos depois. Blundell, um obstetra britânico, ficava consternado com as mortes causadas por hemorragia pós parto. Inspirado em pesquisas pioneiras sobre transfusão de sangue de animais para humanos, realizadas ao longo do século XVII, ele resolveu iniciar suas próprias pesquisas.

Os primeiros estudos de Blundell foram justamente acerca da transfusão de sangue de animais para outros animais. Observando o sucesso dos procedimentos que realizava, resolveu testá-los em humanos com sangue de outros humanos. Pioneiro neste campo, o obstetra começou a transfundir sangue para suas pacientes que sofressem com hemorragia pós-parto. A primeira transfusão de sangue da história, levando em conta todos os aspectos técnicos e cuidados sanitários possíveis para a época, fora, então, realizada em 1818.

 

O procedimento

O que Blundell fazia é hoje considerado bastante simples, mas chocante para a sociedade inglesa do século XIX. Após coletar aproximadamente 120 ml de sangue doado pelos maridos de suas pacientes, ele iniciava o procedimento de transfusão. As primeiras tentativas foram realizadas com seringas, logo substituídas por instrumentos que o próprio Blundell criou e comercializou.

A partir dos anos de 1820, o medo causado pelo procedimento começou a se dissipar, e Blundell pode realizar 10 transfusões entre 1825 e 1830. Deste total, cinco obtiveram sucesso (ainda sabia-se muito pouco sobre compatibilidade sanguínea), e renderam publicações em revistas científicas.

Estes artigos possibilitaram a disseminação do procedimento em todo o Reino Unido, com destaque para o Edinburgh Royal Infirmary e no Simpson Memorial Hospital, ambos em Edimburgo, na Escócia. Estes foram dois dos primeiros hospitais em todo o mundo a adotar a transfusão de sangue como tratamento.

James Blundell morreu em 1879, e realizou dezenas de transfusões antes de se aposentar. Seu legado, que completa 200 anos em 2018, ajuda a salvar milhões de vidas todos os anos. O Hemotify é uma pequena engrenagem deste mecanismo, mas quem nos move é você. Sua doação salva vidas.

Comments

comments